vsports

Publicidade

Liga Betclic: Silvas travam Benfica

11 de Fevereiro, 2024 por redacção

Num jogo intenso e disputado num relvado difícil, a sociedade de Silvas do Vitória ajudou a travar o Benfica e fê-lo perder a liderança isolada, de nada valendo a contínua boa forma goleadora de Rafa e Arthur Cabral.

VÍDEOS | RESULTADOS | CLASSIFICAÇÃO

Entrando em campo já sabendo que o Sporting tinha ganho e passado para a frente da classificação, um jogo já de si complicado ganhava dificuldade acrescida para o Benfica. O treinador das ‘águias’ surpreendeu ao apresentar um onze sem avançado-centro, e quem também quis surpreender logo a abrir foi Jota Silva, que num remate de longe testou a atenção de Trubin logo no minuto inaugural. Com o relvado alagado em certas zonas, os primeiros lances perigosos do Benfica surgiram de bola parada, primeiro num livre de Di María que André Silva quase desviou para a própria baliza (20) e depois num livre de Kokcu para grande defesa de Charles (23).

O Vitória fazia uso da velocidade e simplicidade de processos para desinquietar a defesa encarnada e aos 32 o remate em arco de Nuno Santos foi travado por uma defesa notável de Trubin. Pouco depois, aos 33, penálti para os anfitriões, depois de um lance em que o ucraniano conseguiu deter o remate de André Silva mas o Nº7 vimarenense, no chão, consegue colocar a bola em Tomás Ribeiro, que sofreu falta de Kokcu. Na cobrança do castigo máximo, Tiago Silva atirou forte perto do ângulo superior (35).

Durou pouco a alegria dos adeptos da casa, já que aos 40 uma jogada de insistência encarnada, iniciada por Bah, terminou com um cruzamento de trivela de Di María para encosto de Rafa à boca da baliza. O Vitória podia ter chegado ao intervalo em vantagem, mas o cabeceamento de Tomás Ribeiro saiu à figura de Trubin (46) e o remate de Nuno Santos rasou o poste (47).

Perante o jogo ofensivo emperrado daa sua equipa, Schmidt mudou ao intervalo e colocou o ponta-de-lança Arthur Cabral. Aos 48, o canto directo de Di María levava perigo e direcção da baliza, mas Charles socou para fora. Do outro lado, Jota Silva cabeceou para o fundo das redes aos 56 mas não contou por estar em fora-de-jogo. Sempre irrequieto e em jogo, o Nº11 vimarenense acabou por ter influência mas como assistente, quando aos 61 cruzou para antecipação de André Silva a António Silva, finalizando com um toque subtil mas muito colocado.

O entusiasmo minhoto esmoreceu três minutos depois com a expulsão de Borevkovic com  vermelho direto após uma entrada muito dura sobre Florentino. Mas mesmo com menos um podia ter sido o Vitória a marcar novamente, quando Jota Silva escapou em velocidade e rematou para grande defesa de Trubin com o pé (73). Schmidt apostou tudo para os instantes finais e alargou a frente de ataque com Marcos Leonardo e Neres, enquanto os anfitriões defendiam com unhas e dentes a vantagem. Conseguiram controlar com relativa tranquilidade a pressão final mas não evitaram o cabeceamento de Arthur Cabral, que aos 90 apareceu no coração da área a finalizar mais um cruzamento milimétrico de Di María.

PARTILHAR: